Porto Ferreira Ontem – Os principais jogos da história ferreirense (II)*
Time do combinado ferreirense. Da esquerda para a direita, de pé: Nelson Mariano, Quinzinho Marques, José Peres Alonso, Maiese I, Leonildo Braga; sentados, na mesma ordem: Tiãozinho Garcia, Manoel Marques Jr., Maiese II, Gabriel e Lico Fernandes; goleiro: Calin, 1925. Atrás: Nadir Mariano e Henrique Ribaldo. Acervo de Orestes Rocha;

A fim de descrever minuciosamente o impacto dos jogadores nas terras ferreirenses, destaquei mais uma divulgação do semanário “O FERREIRENSE” (18.10.1925, p. 2): 

FUTEBOL

Conforme estava annunciado realisaram-se nos dias 11 e 12 os jogos de futebol entre o C. A. Paulistano e o combinado Ferreirense.

No primeiro jogo o quadro ferreirense não conseguiu oppor resistencia ás arremetidas dos visitantes tendo sido marcados 3 pontos que garantiram a Victoria do C. A. Paulistano.

No segundo jogo, porem, o conjuncto local, melhor organisado, desfazendo a má inspressão deixada com o jogo anterior, rechassou os ataques do “Glorioso” e organisou serias investidas contra o seu reducto final.

Mesmo assim, os “reis do futebol” marcaram dois pontos que lhes deram a victoria.

O JANTAR

Domingo, apoz o embate, realisou-se o jantar offerecido pela Irmandade do Hospital D. Balbina ao sr. Dr. Washington Luiz e á Delegação do C. A. Paulistano.

A´ mesa sentaram-se os srs. Senador Dr. Washington Luiz; Senador Procopio de Carvalho, Deputado Dr. Prado Junior, Dr. Carlindo Valeriani, Dr. Mario Cardim, F. Pettinati da “Folha da Noite”, Deputado João Procopio Sobrinho, Mariano Procopio, Orlando Pereira, Oracy Gomes e jogadores do Paulistano.

Ao champagne discursou o prof. Oracy Gomes que em nome da Irmandade do Hospital D. Balbina agradeceu a visita que faziam a Porto Ferreira o sr. Dr. Washington Luiz e a Delegação do Paulistano.

A esta offereceu, como recordação desta cidade, um fino bronze com a seguinte dedicatória, “Ao C. A. Paulistano, Porto Ferreira reconhecido”.

Em nome da Delegação fallou o Dr. Mario Cardim, secretario daquelle club, agradecendo.

A seguir, pelos rapazes do “Glorioso” foram levantados diversos “hurrahs” e “allegoaks”.

O BAILE

Decorreu animadíssimo o baile offerecido á Embaixada Esportiva. As dansas prolongaram-se até a madrugada reinando sempre a maior alegria.

O serviço de “bar” esteve irreprehensível.

A DESPEDIDA

Os rapazes que compunham a quadro que nos visitou deixaram esta cidade terça-feira pela manhã, motivo pelo qual não lhe foram tributadas pelo povo as homenagens que merecem. 

Em 1999, a TV esportiva ESPN conseguiu resgatar um excerto da filmagem de uma das vindas do time do Club Athletico Paulistano, acervo do senhor Dionísio Fenili, possibilitando um programa específico sobre o assunto. 

CURIOSIDADE

Em 1923, segundo o professor João Teixeira, fixou residência em Porto Ferreira um cidadão conhecido pelo nome de Alpoim. Aparentemente, com o objetivo de impressionar o público, Alpoim pediu aos conhecidos para abrirem uma cova, de sete palmos, nas proximidades do campo de futebol do PFFC, que seria preenchida por ele mesmo e por terra, durante a memorável partida entre o “Paulistano” e o time da casa. Para não ser esmagado pelo peso, tratou de adaptar na cova dois cavaletes forrados por tábuas grossas. Assim que começou a partida, com vestimenta árabe, entrou na cavidade, sendo coberto por terra. Quando encerrou o jogo, começaram a retirá-la - operação que persistiu por mais de uma hora -, até o aparecimento de Alpoim, recebido sob efusivos cumprimentos e comemorações. 



Por Miguel Bragioni
Pesquisador da história de Porto Ferreira 

* Extraído do capítulo 10 do livro Aspectos Históricos de Porto Ferreira.

Para acompanhar as postagens anteriores, acessa a página no facebook Porto Ferreira Ontem