Museu Municipal realiza série de palestras da 15ª Primavera de Museus

Entre os dias 20 e 23 de setembro houve a realização da 15ª Primavera de Museus 2021, com o tema “Museus: perdas e recomeços”, a primeira a ser realizada em Porto Ferreira, iniciativa da Seção de Preservação do Patrimônio Histórico e Cultural do município. A transmissão foi feita pelo canal do Museu Histórico Professor Flávio da Silva Oliveira no Facebook e ainda pode ser acessada.

Com mais de 680 inscritos e 1,7 mil atividades distribuídas por todo o Brasil, número expressivo para o contexto atual, esta Primavera, tal qual novo ciclo, é marcada pelo momento em que várias instituições, sob os protocolos necessários, retomam as atividades presenciais e o contato com o público, razão de ser dos museus e onde a prática museal se completa em sua essência.

A programação contou com a abertura, na segunda-feira, do livre-docente Paulo Henrique Martinez, coordenador do Museu Universitário Unesp Assis (SP). Em seguida, foi a vez de Jaqueline Betiol, coordenadora, e Rene Mainardi, curador do Museu Histórico e Pedagógico Amador Bueno da Veiga, Rio Claro (SP), falarem um pouco sobre o processo de reabertura desta instituição, atingida por um incêndio em 2010.

Na quarta-feira, Graziela de Cássia Villela, assessora de Planejamento do Museu Zequinha de Abreu, de Santa Rita do Passa Quatro (SP), abordou o processo de montagem deste museu que será inaugurado em breve. O final do evento contou com a historiadora Thaís Jeronimo Svicero, funcionária do Departamento de Preservação e Memória, de Indaiatuba (SP), responsável pelo Museu Municipal Antônio Reginaldo Geiss.

“Ter conduzido um evento dessa magnitude para a área museal foi, para mim, um enorme prazer. Abordamos várias perspectivas e atividades em museus com características distintas, o que nos ajudou a compreender melhor os impactos da pandemia e traçar estratégias para o futuro, tanto em nossa cidade quanto nas vizinhas. Além da qualidade dos participantes, gostaria de destacar também o aspecto afetivo de termos promovido um evento desse porte, pudemos estreitar laços com a nossa região e fazermos amizades importantes”, afirmou o chefe de Seção de Preservação do Patrimônio Histórico e Cultural de Porto Ferreira, Vinicius Carlos da Silva.

Já para o historiador Paulo Henrique Martinez “a apresentação da proposta de ação e das experiências desenvolvidas no Museu Universitário do campus da Unesp, em Assis, procurou destacar o recomeço e a retomada institucional como parte da vida e da história dos museus no Brasil. A participação de estudantes do curso de História em projetos de extensão universitária na realização de ações museológicas e as parcerias com gestores, técnicos e professores de secretarias estaduais e municipais de educação e de cultura são traços distintivos dessa atuação, iniciada em 2015. As ações museológicas são voltadas para a promoção do patrimônio natural e cultural existente naquele campus universitário e para a integração de estudantes da educação básica aos espaços pedagógicos da Unesp (biblioteca, museu, laboratórios, áreas verdes). São ações dialógicas que dão ênfase à continuidade da educação formal e buscam a valorização social e profissional dos jovens no campo das artes, ciências, humanidades e tecnologia”.