COVID-19: Porto Ferreira volta para fase laranja e serviços de alimentação terão restrição maior
Covid-19: Porto Ferreira volta para a fase laranja

O Comitê Gestor do Plano de Prevenção e Contingenciamento em Saúde da Covid-19 (Comitê Extraordinário Covid-19) de Porto Ferreira se reuniu por videoconferência na tarde desta terça-feira (19/01), em razão da piora do quadro epidemiológico verificado nos últimos dias.

Após a divulgação de uma nova avaliação pela secretária de Saúde, Vera Lucia Visolli, os membros do comitê deliberaram pelo enquadramento do município na fase laranja do Plano São Paulo, juntamente com outras medidas de restrição específicas. Todas terão validade a partir de amanhã (21/01).

Além do aumento do contágio – na semana passada Porto Ferreira registrou o recorde de 185 casos confirmados, número 54% maior que o pico anterior, registrado no início de agosto –, o grande problema é o aumento na ocupação dos leitos hospitalares. A UTI do Hospital Dona Balbina está com 100% de ocupação, enquanto que a enfermaria registra 60%.

Na fase laranja, as restrições aumentam em relação à fase amarela. O comércio, por exemplo, atende com capacidade 40% limitada e horário reduzido (8 horas): após as 6h e antes das 20h. O mesmo vale para o setor de serviços e outros, como academias.

Além disso, o decreto que estabelecerá o retorno à fase laranja traz outras medidas pontuais. Bares, restaurantes, lanchonetes, lojas de conveniência e distribuidores de bebidas não poderão ter consumo presencial e nem entrada e permanência no local, podendo operar apenas nos sistemas de drive-thru/take-out (retirada no local) e delivery (entrega).

O Parque do Amanhã também ficará fechado a partir de quinta-feira, assim como ficará suspensa a realização da Feira Livre Municipal.

Na fase laranja, as aulas em estabelecimentos públicos e particulares fica restrita a 35% da ocupação das salas. Lembrando que as aulas da rede pública municipal terão início apenas remoto a partir de 1º de fevereiro, e o planejamento é passar para o sistema híbrido a partir de 1º de março.

Na sexta-feira (22/01) o Governo do Estado deverá realizar uma nova reclassificação de todas as regiões paulistas. Lembrando que os municípios podem adotar medidas mais restritivas, mas nunca o contrário.

Quanto à implantação de uma Unidade Sentinela no Hospital Dona Balbina, o projeto foi inviabilizado devido à dificuldade de contratação de pessoal (recursos humanos) por parte da entidade. A Unidade Sentinela é um local específico para atendimento de pacientes com suspeita de covid-19.

Da mesma forma, devido à dificuldade de contratação de pessoal, não será possível aumentar a capacidade de leitos do hospital no momento.

DECRETO Nº 1.595, DE 19 DE JANEIRO DE 2021- VEDAÇÃO AO ATENDIMENTO PRESENCIAL E FECHAMENTO DO PARQUE DO AMANHÃ