Covid-19: Comitê se reúne e delibera sobre volta às aulas presenciais e suspensão do carnaval
Covid-19 - Novas deliberações do Comitê de Enfrentamento

O Comitê Gestor do Plano de Prevenção e Contingenciamento em Saúde da Covid-19 (Comitê Extraordinário Covid-19) de Porto Ferreira se reuniu por videoconferência na tarde desta terça-feira (12/01) para deliberar sobre diversos assuntos importantes, entre eles o aumento nos casos, a vacinação, o retorno às aulas na rede pública municipal, a fiscalização no comércio, a realização do Carnaval, entre outros.

Veja a seguir os principais temas abordados: 

VACINAÇÃO

Sobre o sistema de vacinação, a secretária de Saúde Vera Lucia Visolli informou que a Diretoria Regional de Saúde de Araraquara ainda não definiu se o município seguirá o plano estadual ou o do Ministério da Saúde. A perspectiva é de que o seja estadual, que prioriza faixas etárias e profissionais da Saúde, inclusive cuidadores, que deverão ser cadastrados para a imunização.

O Estado definiu um programa de vacinação que deve funcionar das 7h às 22h nos dias de semana e das 7h às 19h nos finais de semana e feriados. Todavia, o horário no município será ajustado ao volume de doses recebidas em relação à demanda apresentada. O esquema definitivo será divulgado oportunamente. A previsão do Estado é de iniciar a aplicação da vacina no dia 25 de janeiro. 

PROJETO SENTINELA

A secretária também comentou sobre o estudo de instalar no município o Projeto Sentinela, que é um local específico para atendimento de pacientes com suspeita de covid-19. De acordo com ela, as unidades de saúde em geral não foram pensadas para uma pandemia e possuem apenas uma porta de entrada, o que coloca pacientes do novo coronavírus misturados com os demais usuários.

A secretária ainda explicou que “a situação ficou mais séria agora, pois além de pacientes de covid, existe uma demanda represada de pacientes que eram eletivos, mas que não podem mais adiar seus tratamentos”. A Secretaria de Saúde enviou uma proposta ao Hospital Dona Balbina sobre a implantação do Projeto Sentinela e aguarda uma resposta. O serviço funcionaria 12 horas por dia, 7 dias na semana. 

VOLTA ÀS AULAS PRESENCIAIS

Uma comissão da Secretaria de Educação já elaborou um protocolo pedagógico para o retorno das aulas presenciais, sendo a princípio considerado um sistema híbrido. Ou seja, parte das atividades vai ser presencial e parte remota, pois a fase amarela do Plano São Paulo, que é a classificação atual da região de Porto Ferreira, permite no máximo 70% de ocupação das salas.

O decreto estadual 65.384/2020, assinado em dezembro pelo governador João Doria, estabelece as diretrizes que o município de Porto Ferreira é obrigado a seguir. Desta forma, as escolas particulares e estaduais já terão retorno de forma híbrida a partir de 1º de fevereiro.

Por decisão do comitê, a rede pública municipal (creches, emeis e emefs) ainda terá apenas aulas à distância em fevereiro, com o retorno presencial a partir de 1º de março. No mês de fevereiro serão fechados os protocolos sanitários e instruído como se dará o retorno gradual. Segundo o prefeito Rômulo Rippa, em fevereiro a Secretaria de Educação vai avaliar o cenário epidemiológico e todos os protocolos serão detalhados às unidades municipais.

Professores que fazem parte de grupos de risco serão avaliados pelo setor de Medicina do Trabalho da Prefeitura, responsável pela liberação ou não dos servidores, sendo orientados e analisados caso a caso. 

EVENTOS: CARNAVAL E DESCIDA DE BOIA

O Carnaval em fevereiro está suspenso. “Não temos possibilidades, é inviável neste momento devido ao aumento de casos e a própria natureza do evento, com muita aglomeração”, disse o prefeito. “Vamos suspender, mas não cancelar. A Secretaria de Cultura vai estabelecer um diálogo com os blocos para juntos fazermos um acompanhamento e discutir possíveis datas futuras. Quando houver segurança epidemiológica poderemos programar nova data, mas não é garantido que aconteça”, continuou Rômulo Rippa. Desta forma, os pontos facultativos no serviço público em fevereiro, em decorrência do Carnaval, também serão suspensos. 

Sobre a tradicional descida de boia no rio Moji-Guaçu, que acontece no último sábado de janeiro há vários anos, o secretário de Segurança e Mobilidade Urbana, coronel Márcio Simplício, já estabeleceu um contato com a Secretaria de Segurança de Pirassununga para inibir a realização do evento.

“Vamos formalizar um diálogo também com a Associação dos Canoeiros que, apesar de não ser organizador oficial da descida, sempre presta apoio. Todos devem estar cientes da impossibilidade legal e, portanto, não haverá apoio ao evento. É inadmissível. Não é momento para tal festividade. É bacana, o pessoal gosta, é uma tradição, mas é preciso que se respeite este momento de enfrentar a pandemia e garantir a segurança de todos”, disse Rômulo Rippa.

O comitê ainda negou autorização para a Federação Paulista de Ciclismo realizar em Porto Ferreira uma corrida no dia 31 de janeiro, que teria a participação estimada de 500 atletas. 

FISCALIZAÇÃO

Durante a reunião do comitê, a chefe da Vigilância Sanitária, Edeltraut Zoia, informou que desde outubro a fiscalização dos estabelecimentos comerciais, principalmente bares e restaurantes, foi intensificada.

Foram ao todo 883 vistorias até o final do ano (cerca de 300 por mês), com uma equipe formada por cinco fiscais, incluindo a dirigente. De acordo com Edeltraut, a grande maioria dos estabelecimentos vem cumprindo as determinações. Neste período foram autuados cinco bares que desrespeitaram regras como distanciamento e uso de máscara.

A Vigilância Sanitária do Governo do Estado também tem enviado equipes de agentes para realizarem fiscalizações de surpresa nos municípios. Em Porto Ferreira, os agentes estaduais já estiveram duas vezes nos últimos meses.