Conheça os projetos vencedores do Prêmio Medalha Lourenço Filho: categoria profissionais da Educação que atuam na Pré-Escola

A quarta edição do Prêmio Medalha Lourenço Filho (2021), que busca incentivar novas práticas e reconhecer a contribuição dos profissionais para a qualidade da educação básica, foi dividida em cinco categorias, sendo elas: Educação Infantil: profissionais da Educação que atuam na Pré-escola; Educação Infantil: gestores de Pré-escola; Ensino Fundamental anos iniciais: professores de 4º e 5º anos; Ensino Fundamental: gestor de 1º e 5º anos; Ensino Médio: professores.

Na categoria Educação Infantil: profissional da Educação que atua na pré-escola, a professora Maria Gabriela Garcia Salvado, da Emei do Caic Professor João Teixeira (Jardim Independência), trouxe um projeto desenvolvido com crianças de 4 anos, que tinha como tema “As borboletas e muitas histórias".

Com duração de três semanas, a atividade objetivou apresentar aos alunos diferentes textos da literatura infantil, a fim de desenvolver a capacidade de escuta, aumentar do repertório e aprimorar a oralidade dos educandos. Todo o planejamento e desenrolar do projeto foi feito por meio de grupo de WhatsApp criado com esse propósito.

A escolha do tema borboletas, como conta a professora, foi motivada pela curiosidade de um de seus alunos. “Um dia, durante o momento de retirada das atividades remotas, uma aluna questionou-me sobre o que estava pendurado na parede da escola. Respondi que era um casulo e perguntei se ela saberia me dizer qual animalzinho sairia de dentro dele”.

O fato de a aluna não saber a resposta trouxe a oportunidade de instigar a curiosidade dos alunos e, assim, motivá-los a participar das aulas remotas e interagir no grupo.

Desta forma, o projeto foi dividido em três semanas e cada uma contemplou um texto da literatura infantil, no qual os alunos puderam recontar histórias, declamar poemas, pesquisar diferentes obras, praticar atividades que exploram o desenvolvimento motor grosso e fino, dentre outras habilidades presentes na Base Comum Curricular.

Todas as atividades foram feitas com a ajuda de cada família, que aderiu bem ao projeto e, ao final, a professora montou uma exposição com o ciclo de vida da borboleta para que os alunos pudessem passar na escola e ver aquilo que aprenderam nas três semanas.

“Como profissional, fiquei muito satisfeita com o resultado dessa sequência didática, pois os alunos e familiares estiveram completamente envolvidos e participativos”, concluiu a professora.

Assessoria de Comunicação, Cerimonial e Eventos